Análise – Dreaming Sarah

Salve salve pessoal…

Estreio hoje aqui no site, uma coluna que será um pouco rara, rsrs… mas irá aparecer de vez em quando, análise de jogos.

Introdução

Dreaming Sarah é um jogo side scrolling feito em Pixel Art inspirado no jogo de terror Yume Nikki com diversos puzzles, vários personagens diferentes e caricatos, sendo que o jogo é não linear, ou seja, você pode optar por qual caminho seguir, sendo que alguns itens são obrigatórios para abrir passagens para alguns caminhos.

Área da floresta

Enredo

O enredo conta a história de Sarah, uma mulher que está em coma e está tendo sonhos, onde você deverá ajudá-la a acordar explorando esse mundo e todas as coisas caricatas que nele contém.

Uma coisa que chama a atenção, é em que cada elemento do cenário foi colocado propositalmente para fazer sentido, como por exemplo, um momento você vai consumir bebida alcólica em um bar, após consumir, você ve seu próprio corpo caído e entende o que aconteceu com a Sarah.

Além disso, vemos medos da Sarah, e o jogo consegue passar uma sensação de solidão, em que você cada vez mais quer descobrir as coisas da personagem e salvá-la dessa prisão.

Encontrando um item

Os cenários também são interativos com o enredo, como por exemplo, uma personagem do jogo ao você dar uma bala de revolver para ela, quando você volta ao cenário que ela estava você encontra apenas aquelas fitas amarelas que a polícia usa em casos de morte.

Ou seja, se você pega um item, ou usa ele em pontos do jogo, toda a sala ou ambiente mudam.

O jogo em si é bem criativo e brinca com a nossa imaginação, toda hora você fica pensando “não, não pode ser” rs.

Dentro de uma boca

Som

O som do jogo combina com a melancolia do subconsciente de Sarah, com músicas com um tom meio dark, você rapidamente fica preso a esses sons.

E eles souberam bem como utilizar esse recurso, inclusive tem um momento que você entra dentro da TV, e você ouve apenas aquele chiado, se sentindo diminuído naquela escuridão, tendo apenas aquela luz no fim da sala.

Encontrando um outro item

Gráfico

Os gráficos não tem nem o que falar, eles são no estilo Pixel Art. Aquela sensação de jogos antigos do Mega Drive me veio a tona enquanto eu jogava, lembrei muito de jogos como Chakan e Wonder Boy in Monster World (para nós brazucas, Turma da Mônica).

Outro ponto que chama a atenção, são os efeitos dos gráficos, desde ela andando e balançando os cabelos, ou a névoa envolvendo o ambiente, ou até mesmo as ondas da água, tudo parece que foi feito nos mínimos detalhes.

Sensação de estarem te observando

Controles

Basicamente você utiliza o direcional ou o analógico esquerdo para a movimentação da Sarah, e os botões que você utiliza:
A – Pulo
B – Acessar itens de ação (itens que você pode modificar poderes da personagem, como encolher)
X – Ações (como por exemplo, conversar com personagens)
RB – Andar devagar
Start / Menu – Mostra menu de pausa do jogo

Os controles são bons e respondem bem, acho que o único incomodo que tive no começo, foi com os pulos, pois se for muito perto das bordas, ele não identifica como pulo, simplesmente você cai com a personagem, então eu me acostumei e comecei a pular antes.

Área da lava

Diversão

Esse é um ponto importante para um jogo, eu particularmente me diverti muito jogando Dreaming Sarah, e o jogo me impressionou pelo seu capricho e pelo seu enredo bem elaborado.

No total são 12 itens coletáveis, e eu apenas “empaquei” em 1 deles que eu não achava nem a pau rs… ai até procurei um detonado na web, igual aqueles antigos que tinham nas revistas Super Game Power e Ação Games, para poder encontrar esse item perdido rs…

A duração do jogo comigo foi cerca de 2 horas e meia, porém o fator replay dele é imenso. Existem 2 finais diferentes (pelo menos no site da Microsoft diz isso, eu consegui fazer apenas 1 rs), dependendo da ordem dos itens e das ações da Sarah no jogo, porém mesmo após você zerar, você pensa em coisas como “E aquele personagem que conversou comigo?” ou “E aquela fase que tinha aquele objeto?”, fazendo com que você repense em jogar e ver esses personagens novamente.

Encontrando um personagem na ilha isolada

Outras informações

Se você gosta de Achievements (Conquistas), a versão de Xbox One não possui nenhuma (diferente da versão da Steam).

Outro ponto a se levar em consideração, são os bugs, eu encontrei alguns (me recordo de dois agora), um deles o auto-save não salvou, ai perdi parte do progresso (toda vez depois eu salvava manualmente rs), e o outro quando me transformei em peixe e pulei no lago, ela se destransformou, assim fiquei preso na água e tive que voltar para tela de título.

Um ponto também a ter atenção, é que o jogo sempre vem com a opção New Game selecionada, então cuidado ao sem querer não perceber e acidentalmente começar um jogo novo.

E para finalizar, o jogo vem em Inglês, para mudar o idioma padrão para o Português, vá nas opções e mude o idioma.

Planando com o guarda chuva

Preço

Na Xbox Live, o jogo está com o preço de R$ 3,95, Clique Aqui para saber mais.

Na Steam, o jogo está com o preço de R$ 5,99, Clique Aqui para saber mais.

Pô galera, o jogo ta mais barato que muito salgado de cantina de faculdade por ai hein rsrs… Por esse preço acho que compensa (e muito).

Considerações Finais

Eu costumo dizer, que jogos são experiências únicas, assim como filmes e músicas, Dreaming Sarah tem um enredo cativante, e belos recursos como seu gráfico em Pixel Art e sua trilha sonora. Ele acerta em cheio na medida de atiçar a curiosidade e a vontade do jogador de zerar o game, parece até que você está vendo um filme, querendo saber logo o final.

Aliás, o final (pelo menos o que eu fiz rs) é muito bom, não irei falar aqui para não estragar a magia de descobrir e pensar “Não, não pode ser… vai comer um Big Mac menina, para com isso” rsrs… Enfim jovens, se você curte jogos side scroller e com um bom enredo, recomendo Dreaming Sarah.

A escuridão servindo de companhia para Sarah

Abaixo um vídeo de gameplay no nosso canal, se possível, se inscreva para ajudar o nosso trabalho.



Bom pessoal, por hoje é só.
Abraços e até a próxima.

About Daniel Atilio

Analista e desenvolvedor de sistemas. Técnico em Informática pelo CTI da Unesp. Graduado em Banco de Dados pela Fatec Bauru. Entusiasta de soluções Open Source e blogueiro nas horas vagas. Autor do projeto Terminal de Informação, onde são postados tutoriais e notícias envolvendo o mundo da tecnologia.

Daniel Atilio

Analista e desenvolvedor de sistemas. Técnico em Informática pelo CTI da Unesp. Graduado em Banco de Dados pela Fatec Bauru. Entusiasta de soluções Open Source e blogueiro nas horas vagas. Autor do projeto Terminal de Informação, onde são postados tutoriais e notícias envolvendo o mundo da tecnologia.