Análise – Super Comboman: Smash Edition

Salve salve pessoal…

Hoje trago para vocês a análise do jogo indie Super Comboman: Smash Edition.

Introdução

Super Comboman é um jogo de plataforma nos moldes clássicos dos jogos de 16 bits, onde o foco do jogo é em seu sistema de combos. O jogo traz um visual inspirado em revistas e quadrinhos (HQs e Mangás), sendo que o personagem e os cenários são feitos como se fossem adesivos, trazendo um visual bacana e agradável.

Na história do jogo, você é Struggles, um jovem que está procurando um emprego, e assim encontra uma oportunidade na empresa DoDoCo. Struggles se parece aqueles tiozão que vão na ceia de Natal e perguntam do “pavê ou pacomê? rs”, ele usa camisas havaianas, bermudão e uma pochete falante (sim uma pochete, que inclusive tem nome, Flappy).

Já deu para perceber que o jogo tem aquele ar de comédia né, mas será que tudo isso refletiram um bom jogo no final?

Inimigos variados

Som

As músicas do jogo são bem simplistas, com toques tranquilos e sem muita variação, passando boa parte do tempo em branco.

Além de inimigos, vários desafios e obstáculos nas fases

Já os efeitos sonoros são muito bem aproveitados, quando você faz um combo e vai batendo nos inimigos os sons dos socos e golpes é bem legal. Mas o mais legal, é a voz do Narrador, no começo das fases ele solta a frase “Test Start”, e a voz me lembrou dos arcades Street Fighter Alpha 2 e The King Of Fighters 96, onde havia uma grandiosidade ao anunciar um embate.

Inimigos mal encarados rs

Gráfico

O ponto mais alto do jogo é seu gráfico, o jogo inteiro é em 2D, sendo que os traços remetem a influências tanto de Mangás quanto de HQs, inclusive na abertura do jogo, Struggles pega um quadrinho de um herói “Comboman” e se inspira nele para ir trabalhar na DoDoCo.

Propagandas de lanches? rs

O mais interessante é que o jogo inteiro, o visual do Struggles e dos adversários é ser baseado em adesivos, inclusive nas passagens entre as áreas, Struggles é “descolado” e “colado” novamente na fase.

Exemplo de combo (gif de uma versão antiga do jogo)

Controles

Os comandos do jogo basicamente são:
A – Pulo
B – Golpe Forte
Y – Golpe com a pochete
X – Golpe Normal
Analógico Esquerdo / Direcional – Mover personagem
RB – Avançar / Dash
LB – Defesa
RT – Provocar adversário

Esses inimigos que tem garras iguais as do Wolverine, são chatos hein

Sendo que o Golpe com a pochete, você pode usar várias vezes até esgotar a barra de energia roxa, e o Golpe Forte você pode usar 1 vez até encher novamente a barra.

Além desses comandos existe uma loja onde você pode comprar poderes especiais, que são ativados sempre que você atinge 30 hits e 60 hits, como por exemplo, bloquear ataques automaticamente, aumentar defesa, diminuir tempo de carregamento, etc… Só não sei se era algum bug do jogo ou algo assim, como por exemplo, um dos poderes que eu tinha equipado no Struggles, era o de bloquear automaticamente quando atingisse 30 hits, e mesmo com 40 hits, 50 hits, em alguns momentos, os adversários conseguiam me acertar (era raro, mas conseguiam). Além desses poderes é possível desbloquear comandos para executar poderes, como um hadouken ou shoryuken.

Mas ai entra um pequeno problema, quando eu comprei o Hadouken, muitas das vezes o comando não dava certo (meia lua para frente e o botão de Golpe Forte), tentei diversas vezes, e parece que de 100% das vezes, ele reconhece talvez metade. Ah Daniel, mas isso quer dizer que você é ruim em meia lua (sim, pode ser rs), mas não é só isso, muitas das vezes os comandos do jogo parecem que não são totalmente precisos, por exemplo, você está dando um combo em um inimigo, e mesmo assim o inimigo consegue bater em você no meio do combo.

Ataque com a pochete

Diversão

O jogo até é divertido nas primeiras fases, porém jovens, logo no meio do primeiro mundo, o que era pra ser divertido se torna extremamente frustrante, o sistema de combos não é 100% exato, além de alguns bugs (fiquei enroscado em um adversário, e ele rapidamente consumiu meu life inteiro).

Claro que com o tempo você pode ir pegando os macetes do game, eu cheguei até o fim do segundo mundo, mas desisti de prosseguir (ou eu jogava meu controle do Xbox One na parede rs). No começo eu achei que eu era ruim mesmo, então fui procurar no guia de conquistas do painel do Xbox One quem havia zerado o game, e para minha surpresa era uma conquista de diamante, com menos de 1%, ou seja, se 100 pessoas comprassem o game, talvez 1 pessoa zerasse ele.

Fila de inimigos

O jogo não é aquele difícil que você sabe que a culpa é sua e de suas habilidades, por exemplo, eu zerei o Cuphead e mesmo sendo um jogo difícil sabia que a culpa era minha e isso me motivava a continuar. Já em Super Comboman, a sensação de frustração é devido a falha dos comandos que é tão grande, que me fez desistir de ir até o final, e faz muito tempo que um jogo alcançou esse nível comigo.

Outras informações

Eu não sei exatamente quantos horas médias tem na campanha do jogo, mas as fases vão desde 5 minutos até uns 10 minutos de duração, como são 4 mundos, cada um com no mínimo 3 fases e 1 chefe, daria no mínimo 1 hora e meia de jogatina, mas conforme você vai morrendo, o tempo vai aumentando.

No jogo você também consegue fazer com que os inimigos uns batam nos outros, mas isso só deixa eles em menor número, os mais fortes ficam ainda para você tentar vencer.

Tome cuidado com esse inimigo gigantão em cima do vidro

Preço

Na PSN, o jogo está R$ 45,90, Clique Aqui para saber mais.

Na Steam, o jogo está R$ 27,99, Clique Aqui para saber mais.

Na Xbox Live, o jogo está R$ 29,00, Clique Aqui para saber mais.

Struggles apanhando

Considerações Finais

Caso você goste de desafios e de situações difíceis, pode encarar Super Comboman, do contrário, pode ser uma experiência bem frustrante e pelo preço, recomendo encontrar outros títulos.

Obs.: Eu testei a versão de Xbox One, pode ser que nas outras plataformas não tenham esses bugs nos comandos.

Abaixo um vídeo de gameplay do nosso canal, se possível se inscreva lá e dê um joinha no vídeo para nos ajudar XD.



Bom pessoal, por hoje é só.
Abraços e até a próxima.

About Daniel Atilio

Analista e desenvolvedor de sistemas. Técnico em Informática pelo CTI da Unesp. Graduado em Banco de Dados pela Fatec Bauru. Entusiasta de soluções Open Source e blogueiro nas horas vagas. Autor do projeto Terminal de Informação, onde são postados tutoriais e notícias envolvendo o mundo da tecnologia.

Daniel Atilio

Analista e desenvolvedor de sistemas. Técnico em Informática pelo CTI da Unesp. Graduado em Banco de Dados pela Fatec Bauru. Entusiasta de soluções Open Source e blogueiro nas horas vagas. Autor do projeto Terminal de Informação, onde são postados tutoriais e notícias envolvendo o mundo da tecnologia.