Análise – As Aventuras Iradas de Captain Spirit

A brincadeira entre realidade e imaginação vista da cabeça de uma criança.

Introdução

As Aventuras Iradas de Captain Spirit é um jogo desenvolvido pela Dontnod Entertainment e publicado pela Square Enix apenas em formato digital no dia 25 de junho de 2018 para as plataformas Xbox One, Playstation 4 e PC. Podemos dizer que o jogo funciona quase como uma demo de Life Is Strange 2 em questão de jogabilidade, mecânicas e até mesmo se passando no mesmo universo.

O game conta a história de Chris, uma criança de 10 anos, que vive um relacionamento abusivo com seu pai por conta de quadros de alcoolismo e violência doméstica, vindos grande parte pela perda de sua mãe, e como uma forma de escape ele se imagina em muitos momentos como um super herói chamado Captain Spirit, transformando atividades do seu dia-a-dia como por exemplo verificar se o aquecedor de sua casa está funcionando em uma batalha épica contra um monstro que vive em seu porão, entre outras coisas.

The Awesome Adventures of Captain Spirit

Som

Como de se esperar dos trabalhos da Dontnod, as 3 músicas que tocam em momentos chaves do jogo não decepcionam e servem para nos colocar dentro do fantástico mundo criado por Chris, destaque para a música Death With Dignity, do cantor Sufjan Stevens que nos presenteia com sua canção logo no inicio da jogatina. As atuações também dos dubladores estão excelentes, lembrando que as dublagens estão apenas em inglês, porém o jogo conta com menus e legendas em português, tanto para as conversas como para os documentos, jornais, fotos e etc.

Gráfico

Os gráficos do game estão aceitáveis, considerando que isso na minha opinião nunca foi o forte da desenvolvedora, porém a ambientação está muito bacana, com muitos pontos para examinar dentro da casa, e como o jogo se passa no inverno no estado do Oregon, o quintal está coberto de neve, e nesse ponto o game também acerta em representar o frio do lugar, mas de forma geral quem está jogando Captain Spirit não está atrás de gráficos realistas ou algo do gênero.

Quintal

Controles

O jogo segue aquele padrão dos Adventure Games, na qual conforme você vai focando nos objetos ou pessoas, algumas opções de ações são apresentadas. Em alguns momento você deve tomar algumas decisões, como escolher alguma resposta nos diálogos, além de pode andar com Chris para cima e para baixo.

Poder ou imaginação?

Diversão

A mecânica do jogo é bem simples, o pai de Chris está assistindo um jogo da NBA e nesse meio tempo temos algumas atividades para realizar, e cada uma dessas atividades estão listadas num papel, que na verdade são quebra cabeças, e conforme vamos realizando, ele vai pintando ou fazendo anotações no papel, os quebra cabeças não exigem muito do jogador, porém são divertidos e prazerosos de realizar, inclusive esse foco maior nos puzzles é algo que achei diferente do Life Is Strange, fica a dúvida se Life Is Strange 2 vai ter essa pegada também.

As missões do jogo

Outra característica do jogo que eu adorei é que para determinadas ações nós temos a opção de utilizar o “poder” do Captain Spirit, como na vez que focamos a televisão no quarto de Chris e temos a opção de ligá-la da forma tradicional ou através de seu poder mental, é claro que escolhi o poder, e o nosso herói aponta a sua mão para o televisor e começa fazer uma força tremenda até que ela liga, nesse momento uma jogada de câmera mostra que em sua outra mão está o controle na qual ele usa para ligar a TV, e o jogo é repleto de momentos assim.

Passamos também por situações mais pesadas, como no momento em que estamos brincando no quarto e o pai de Chris o chama para tomar café, temos até a opção de não ir, ou até mesmo não responder, porém existe esse clima meio pesado na relação dos dois, na qual você entende que a melhor coisa a se fazer é ir correndo para a cozinha.

Considerações Finais

Não podemos esquecer que estamos falando de uma demo do que nos espera em Life is Strange 2, e que este é um jogo grátis, então não espere mais que 2 horas de gameplay, porém mesmo assim é uma experiência que eu recomendo para cada um jogar, este jogo nos apresenta momentos que queremos chorar, rir ou brincar. A Dontnod poderia abusar do sucesso que foi o primeiro Life Is Strange, colocando vários elementos do primeiro jogo, porém sabemos que estamos no mesmo universo por conta de pequenos detalhes apresentados, como um livro que pertencia a mãe de Chris que foi escrito por um personagem famoso do outro jogo, entre outras coisas.

Ficaria muito feliz de continuar As Iradas Aventuras do Captain Spirit em Life Is Strange 2, porém agora só nos resta esperar.

 

Por enquanto é isso pessoal, um abraço!

About Leandro Lambertini

Nerd caipira do interior de São Paulo, aspirante a músico, amante do cinema e dos games.

Leandro Lambertini

Nerd caipira do interior de São Paulo, aspirante a músico, amante do cinema e dos games.