Qual é o significado dos botões do Playstation?

Você já parou para pensar no significado dos símbolos dos botões do Playstation?

Algumas empresas fizeram joysticks com botões numéricos (Master System, Atari 7800), porém o padrão adotado pela indústria de games, eram as letras (Mega Drive, Super Nintendo, Neo Geo, 3DO). Algumas empresas tentaram lançar padrões diferentes, como foi o caso da Atari com o Jaguar, com um controle esquisito que misturava números e letras.

Controle do Jaguar, o menino lindo rs

Mas uma empresa em questão, queria desenvolver um joystick, que não usasse os padrões de letras ou números, mas que fosse mais filosófico, que cada botão tivesse um significado, logo, a ideia de símbolos.

A Sony ao desenvolver o joystick do primeiro Playstation, queria algo que fosse simples de lembrar, e que tivesse um significado por trás e não apenas uma sequência de caracteres como as concorrentes faziam.

Então, cada botão do PS1 teria um significado, sendo:

  • Triângulo (Triangle): Refere-se a um ponto de vista, uma direção para onde ir, a cor escolhida foi verde
  • Quadrado (Square): Refere-se a um pedaço de papel, como se fossem menus e documentos a serem acessados, a cor escolhida foi rosa
  • Círculo (Circle): Refere-se a decisão positiva (Sim), e a cor escolhida foi o vermelho
  • Cruz – X (Cross): Refere-se a decisão negativa (Não), e a cor escolhida foi o azul
Primeiro controle do PS1

O Círculo e o X, podemos notar que as cores são opostas por esse motivo. Além do que, esse padrão foi tão forte na indústria, que muitos desenvolvedores que antes mapeavam aleatoriamente os botões, começavam a seguir um padrão.

Imagem com protótipos

No Playstation 1 mesmo, era comum os jogos japoneses, para avançar em um menu utilizar o Círculo, e para retroceder, utilizar o X. Já em jogos americanos, era o contrário, para avançar era o X, e para retroceder o Círculo, pois os ocidentais costumam associar o primeiro botão sendo como o principal.

Nos primeiros protótipos do controle, ainda existiam os botões de + e -, que depois foram descartados, e adicionados em cima, fazendo com que tivessem 4 botões, dois a mais que os concorrentes. A famosa combinação R1, R2, L1 e L2.

Um dos protótipos de perto

Apenas a título de curiosidade, a adição dos dois analógicos foi devido ao lançamento do Nintendo 64, e ele ter o manche para jogos em 3D, e a câmera ser controla pelos 4 botões amarelos C (C Cima, C Baixo, C Trás e C Frente). Assim a Sony criou os dois analógicos, e trouxe junto a função de vibração, usada no N64 e Dreamcast através de periféricos externos.

Controle DualShock

Apesar de ter dois analógicos, em jogos de tiro (como Medal Of Honor), ainda era usado os R1, R2, L1 e L2 para mudar a visão, e esse padrão só foi alterado depois com o primeiro Xbox e com jogos como Halo (mais detalhes no artigo A Evolução dos FPS).

A princípio a diretoria da empresa queria que o controle se parecesse mais com o do Super Nintendo, porém Teiyu Goto, engenheiro da Sony, disse que a equipe insistiu nesse visual.

Teiyu Goto

Abaixo um trecho extraído da entrevista dele para a Famitsu:

Outras empresas de jogos na época atribuíam letras ou cores do alfabeto aos botões.
Queríamos algo simples para lembrar, e é por isso que usamos ícones ou símbolos, e surgiu a combinação Triângulo-Círculo-X-Quadrado imediatamente depois.
Eu dei a cada símbolo um significado e uma cor.
O triângulo se refere ao ponto de vista. Eu tinha que representar a cabeça ou direção e o tornei verde.
Quadrado se refere a um pedaço de papel. Eu tinha que representar menus ou documentos e o tornei rosa.
O círculo e o X representam decisões “sim” ou “não” e eu os fiz vermelho e azul, respectivamente.
As pessoas achavam que essas cores estavam confusas e eu tive que reforçar para a gerência que era isso que eu queria.

Referências:
gizmodo.com
kotaku.com

Bom pessoal, por hoje é só.

Abraços e até a próxima.

About Daniel Atilio

Analista e desenvolvedor de sistemas. Técnico em Informática pelo CTI da Unesp. Graduado em Banco de Dados pela Fatec Bauru. Entusiasta de soluções Open Source e blogueiro nas horas vagas. Autor do projeto Terminal de Informação, onde são postados tutoriais e notícias envolvendo o mundo da tecnologia.

Daniel Atilio

Analista e desenvolvedor de sistemas. Técnico em Informática pelo CTI da Unesp. Graduado em Banco de Dados pela Fatec Bauru. Entusiasta de soluções Open Source e blogueiro nas horas vagas. Autor do projeto Terminal de Informação, onde são postados tutoriais e notícias envolvendo o mundo da tecnologia.