Análise – Mystic Belle

Que tal explorar uma escola de bruxas e resolver vários enigmas.

Sobre o Game

Em Mystic Belle, você controla a bruxa novata Belle MacFae, cujo objetivo é encontrar 3 ingredientes de uma poção mágica, que estão escondidos pela escola de feiticeiros.

Estilo artístico lembra clássicos do Super Nintendo

O jogo conta com gráficos 2D caprichados e inúmeros quebra-cabeças que estimulam o pensamento e raciocínio lógico.

Pontos Positivos

O jogo segue no estilo Metroidvania, com progressão não linear, sendo que a escola possui diversas áreas, como masmorras, jardins, etc.

Você deve resolver os diversos enigmas, prestando a atenção no ambiente, por exemplo, pegar um borrifador, voltar em uma sala, encher de veneno e usar em plantas carnívoras.

Enfrentando diversos inimigos

Um ponto que me chamou a atenção, foi o sistema de life, onde ao entrar numa sala, o jogo automaticamente salva com a saúde atual da personagem, e se morrer, você pode escolher em voltar nesse checkpoint ou começar do zero.

O estilo artístico é outro ponto positivo, lembrando os jogos bem coloridos e caprichados do saudoso Super Nintendo.

Pontos Negativos

Infelizmente o jogo não tem suporte ao português brasileiro, o que pode afetar a imersão de alguns jogadores na resolução dos puzzles.

Encontrando perigos na escola de feiticeiros

Outro ponto negativo que percebi, é que em alguns momentos, o jogo apresenta queda de frames, afetando sua jogabilidade (joguei no Xbox One S).

Por último, o ponto que menos gostei no jogo, foi o sistema de inventário limitado, sendo que, pegando o exemplo citado acima nos pontos positivos, para pegar o borrifador, você precisa de espaço, mas se não tiver, você tem que largar o item ou guardar em um baú, e como o jogo tem que ficar indo e voltando aos lugares, essa combinação de inventário e utilização de itens ficou um pouco onerosa.

Veredito

Se você for fã dos clássicos games em 2D da década de 90, ou se procura uma aventura sem compromisso, Mystic Belle até pode te agradar, mas veja vídeos antes ou espere uma promoção.

Pois o jogo, devido ao fato do inventário mencionado e não ter suporte ao português pode causar uma experiência frustrante.

Gostou do vídeo? Ajude a gente, se inscreva no nosso canal clicando abaixo.


Gostou do conteúdo? Se inscreva no nosso site ou acompanhe nossas redes sociais e receba novidades exclusivas clicando aqui.

Abraços pessoal, até a próxima.

About Daniel Atilio

Analista de sistemas e blogueiro nas horas vagas. Pode ser encontrado jogando Tetris por ai.

One thought on “Análise – Mystic Belle

  1. O jogo é muito interessante, mas essa queda de FPS é inaceitável num jogo tão simples e pelo estilo acaba atrapalhando a Gameplay principalmente nos pulos.

  2. Vejo alguns jogos feito no estilo metroidvania seguindo traços de jogos 16 bits exigindo muito do PC e vídeo game, parece piada!!!! Game de bons gráficos, boa jogabilidade e cute!!!!! muito bom, valeu!!!!

    1. Opa, obrigado pelo comentário jovem.
      Às vezes pode ser o port para a plataforma, por exemplo, o jogo inteiro é desenvolvido usando recursos para um console, e outra equipe ou até mesmo a publisher passa para outra equipe a tarefa de portar o game, como foi com Bayonetta (Xbox 360 e PlayStation 3).
      Grande abraço.

      1. Não menosprezando os gráficos pixelados, apenas vendo que determinadas falhas, que são pequenas e que as vezes acaba queimando o estilo e gráfico do jogo!!!! valeu

Deixe uma resposta