Entrevista com André Chagas da Asteristic Game Studio

Hoje trago a vocês, uma entrevista com Andre Chagas, da Asteristic, falando sobre o estúdio e sobre o novo game deles, Dandy & Randy.

Conheci o trabalho da Asteristic no meu Xbox One, procurando jogos nacionais, vi um chamado Dreaming Sarah, e ao zerar ele minha reação foi extremamente positiva (leia a análise clicando aqui).

Recentemente o estúdio Asteristic, lançou Dandy & Randy na Steam como Early Access, e tivemos a oportunidade de conversar com Andre Chagas, esse bate papo, você confere logo abaixo.


Olá Andre, é uma honra poder conversar com você aqui no Aperta o X. Primeiramente gostaria de parabenizar seu trabalho na empresa Asteristic. Como surgiu seu interesse na produção de games?

Obrigado!! Eu tenho interesse nessa área desde que era pequeno – comecei brincando com uns programas de fazer jogo bem básicos (como o Klik ‘N Play e The Games Factory da ClickTeam) mas nunca imaginei que fosse chegar tão longe.

Dreaming Sarah

E como surgiu a Asteristic? E quais são as dificuldades em manter um estúdio no Brasil?

A Asteristic Game Studio é somente um nome fantasia. Meu estúdio conta só comigo e com freelancers (amigos e contratados). Sendo assim, acho que não posso falar muito sobre quais as dificuldades de se manter um estúdio aqui no Brasil.

E na questão de desenvolvimento, existe alguma dificuldade?

Eu trabalho sozinho nos jogos (tirando a música e a arte promocional, nesse caso eu geralmente contrato alguém pra fazer ou compro), então é sempre difícil. O que mais me ajuda é usar ferramentas mais fáceis de desenvolvimento como o Construct 2 – nele eu consigo prototipar e até mesmo lançar jogos numa velocidade ótima comparada às outras engines. Os prazos sempre são curtos e corridos, mas a gente vai levando (risos).

Primeiro jogo brasileiro que joguei, e é espetacular

Confesso que quando conheci Dreaming Sarah, já virei fã do trabalho de vocês rs… Como surgiu a ideia do game?

A ideia surgiu de um outro jogo chamado Yume Nikki. Na época eu já tinha um conceito básico de como seria o Dreaming Sarah, mas foi só jogando esse Yume Nikki que surgiu a inspiração de como tudo funcionaria no jogo.

Como foi a recepção do game? Algo te surpreendeu após ter lançado o jogo?

Inicialmente foi bem ruim – na época tive que lançar pelo Greenlight, e era uma época muito controversa pra jogos em pixel art lá. Recebi vários comentários negativos. Depois de algum tempo acabei conseguindo lançar no Steam, e conforme o tempo foi passando os comentários negativos sumiram e deram espaço pra uma comunidade bem legal de pessoas que têm muito interesse pelo jogo.

Falando agora do projeto atual do estúdio, como surgiu a ideia de produzir Dandy & Randy? Ah e Vendo o gameplay, lembrei um pouco de Goof Troop (Pateta & Max) do Super Nintendo. O game teve inspiração em jogos desse tipo?

Sim! Foi 100% inspirado nele mesmo. Não consigo pensar em muitos jogos que sejam nesse estilo (co-op e top-down) então resolvi fazer o meu (risos).

Dandy & Randy

Você poderia nos contar um pouco sobre o enredo do game?

Dandy & Randy conta a história de dois arqueólogos falidos tentando pagar as dívidas. Um belo dia eles recebem uma informação de que uma pedra preciosa está escondida numa ilha, e resolvem ir procurar por ela. Enquanto isso eles coletam dinheiro pelas fases e usam pra ir pagando a dívida.

Vocês pretendem lançar quando Dandy & Randy? E está previsto para quais plataformas?

Atualmente o jogo já está disponível no Steam em Early Access, o que significa que comprando ele você já pode ter a versão final e qualquer update assim que for lançado. Também fechamos com uma publisher e ainda esse ano ele estará disponível pra Switch.

No Youtube, vocês publicaram um vídeo de Awakening Sarah, nessa continuação o que podemos esperar da jornada de Sarah? É uma continuação direta do primeiro game? Pode dar alguns detalhes para gente (sim, estou ansioso – risos)?

Sim, é uma continuação direta do primeiro jogo, mas não é dependente dele. Quem nunca jogou o Dreaming Sarah pode jogar o Awakening Sarah sem problemas. O maior problema do Dreaming Sarah pra mim foi que eu ainda estava aprendendo tudo, então tem vários bugs que nunca consegui consertar. Com o Awakening Sarah eu comecei tudo do 0 e melhorei muito na arte. Mal posso esperar pra voltar a trabalhar nele, mas por enquanto estou focando no Dandy & Randy porque é meu ganha pão (risos)! O Awakening Sarah deve ser lançado ou lá pro final do ano, ou início do ano que vem. Pra você não ficar tão ansioso posso dar 2 spoilers: o jogo vai ter um tipo de co-op local simples pra quem quiser, e um tipo de integração com o Twitch bem legal pra quem fizer stream. 🙂

Rapaz, como diria aquele meme do Futurama “Shut Up and Take My Money” (risos)… Andre, muito obrigado pela entrevista, que vocês possam ter sucesso nos projetos e lançar mais e mais games. Gostaria de deixar alguma mensagem para o pessoal que acompanha o Aperta o X?

Obrigado!! Fiquem na paz e que todo mundo tenha um 2019 DAORA!


Pessoal, abaixo deixo os links da Asteristic para vocês conhecerem o trabalho deles:

Abraços pessoal, até a próxima.

About Daniel Atilio

Analista e desenvolvedor de sistemas. Técnico em Informática pelo CTI da Unesp. Graduado em Banco de Dados pela Fatec Bauru. Entusiasta de soluções Open Source e blogueiro nas horas vagas.

Daniel Atilio

Analista e desenvolvedor de sistemas. Técnico em Informática pelo CTI da Unesp. Graduado em Banco de Dados pela Fatec Bauru. Entusiasta de soluções Open Source e blogueiro nas horas vagas.

Um comentário em “Entrevista com André Chagas da Asteristic Game Studio

  • 18 de janeiro de 2019 em 08:53
    Permalink

    Bela entrevista Dani, não conhecia os jogos dele, vou correr atrás!

    Resposta

Deixe uma resposta