Detetive Pikachu é um bom filme de jogo?

Entre raios e trovões, o novo filme chegou fazendo barulho nos Cinemas.

ATENÇÃO, antes de continuar a ler, saiba que esse artigo possui referências ao filme, então cuidado com os Spoilers caso não tenha assistido.

Não preciso nem falar que gosto da série Pokémon, sendo que as duas primeiras gerações joguei muito, e por esse motivo, no último fim de semana fui com minha esposa assistir o Detetive Pikachu, e apesar do receio da “maldição dos filmes baseados em games”, decidi encarar e torcer para que o resultado fosse tão bom quanto a franquia amada.

O filme lançou agora em 2019, e fez tanto sucesso, que os estúdios já garantiram uma sequência, mas faço um adendo, nem tudo é 100% no filme, e alguns detalhes podem desagradar os fãs mais fervorosos. Afinal, existem 3 tipos de filmes de games: um filme bom; um filme bom mas com uma adaptação do universo gamer ruim; e um filme ruim (que é a maioria das vezes).

Detetive Pikachu se enquadra no primeiro tipo, então vamos conhecer um pouco do roteiro, e seus pontos altos e baixos que o tornam um filme bom. Ah e se você quiser ver como surgiu a franquia Pokémon, leia nosso artigo clicando aqui.

Roteiro

A trama do game, é fictícia, sendo baseada no jogo de 2016, Detetive Pikachu do Nintendo 3DS. Apesar do enredo de ambos terem algumas semelhanças, tem muitas diferenças entre os dois.

A história se passa com Tim Goodman, um fã de batalhas Pokémon, que após uma tragédia familiar, fica triste e se desilude de ser um treinador. Seu pai, um famoso investigador, desaparece misteriosamente, e Tim voltando até Ryme City se depara com um Pikachu que era parceiro de seu pai, mas está sem memórias.

Detetive Pikachu investigando

Ao mesmo tempo que partem para descobrir o que aconteceu com seu pai, Roger Clifford, um magnata do entretenimento, que ajudou a criar o conceito de Pokémons e humanos viverem em harmonia, está preocupado com alguns experimentos que vem acontecendo, e pede ajuda a Tim.

Esses experimentos envolvem uma droga chamada R, que basicamente tira a consciência dos Pokémons, e eles ficam em um estado animal, totalmente raivosos e sem controle.

Em busca de respostas, Tim faz algumas amizades como a aspirante a jornalista Lucy Stevens e seu Psyduck. Assim partem para respostas, e principalmente, o que houve com o pai de Tim, e o envolvimento do Mewtwo nisso tudo.

O que funcionou?

O primeiro ponto que me surpreendi, foram nos detalhes gráficos dos Pokémons, praticamente todos eram bem polidos e pareciam reais. Para se ter uma ideia, quando eu jogava Pokémon Stadium 2 no Nintendo 64, eu já achava aquele gráfico real rs… Mas quando vi no filme, fiquei surpreso e animado com toda a ambientação criada.

Um ponto interessante, foram nos cuidados com o universo, tanto gamer quanto dos desenhos, por exemplo, logo no começo é mostrado um Cubone chorando, e é praticamente falado a descrição da Pokédex, onde ele é um Pokémon solitário que chora pela morte de sua mãe.

Ao mesmo tempo que existem referências aos games, também existem aos desenhos, como numa cena em que aparência alguns Squirtles apagando um incêndio junto com os bombeiros e quem se lembra das aventuras do Ash, com certeza irá se lembrar do Esquadrão Squirtle.

A interação entre pokémons e pessoas ficou incrível

O filme é recheado de cenas para animar os fãs, sejam dos games ou apenas do desenho, e tem uma cena em particular que eu me amarrei muito, onde um Magikarp evolui para um Gyarados, e nisso um Charizard que estava lutando contra o Pikachu olha, e fica acanhado, eu sempre imaginava essa cena quando eu jogava com meu Gyarados no Pokémon Red, bons tempos rs…

É um sentimento de nostalgia que parece que queriam atingir, inclusive a música tema de Pokémon, que foi eternizada aqui no Brasil pela Rede Record, aquela do “Esse meu jeito de viver…”, é tocada em dois momentos, um na gravação de uma chamada da emissora, e outra com o Pikachu triste cantarolando enquanto caminha.

E esse acho que é o “Pulo do Gato” do filme, ele consegue agradar tanto o público gamer, quanto o casual, pois a memória com o desenho do Pokémon (pelo menos as primeiras temporadas) é nostálgica.

O que não funcionou?

Infelizmente nem tudo são rosas, e assim como outros filmes de games, existem algumas falhas na adaptação, particularmente não me incomodaram, mas os fãs mais extremistas podem não gostar rs… Irei citar dois exemplos sobre a adaptação e um sobre a estrutura do filme.

No game um Pokémon bem treinado (por exemplo, no Level 80 a 100) pode sim vencer uma horda de inimigos, e teve uma cena em que o Psyduck da Lucy teve uma crise de dor de cabeça, e acabou soltando uma rajada de Psychic ou Confusion, e isso venceu inúmeros Greninja que estavam seguindo os personagens. Mas não só isso, a onda foi tão forte que até mesmo acordou vários Torterra gigantes, e você fica pensando, se fosse um Psyduck de level 5, jamais isso aconteceria rs…

Tim e Pikachu

Outro ponto que notei, é que criaram um poder para o Mewtwo, para dar um contexto para o filme. Esse poder, permite que o Mewtwo consiga fundir um humano e um Pokémon qualquer que esteja sem consciência, e também ele consegue desfazer isso a hora que quiser. Esse poder realmente é novo, e foi criado exclusivamente para o filme.

Tirando esses casos, notei apenas uma falha no filme, que é de continuidade, onde tem um momento que Tim, Lucy, Pikachu e Psyduck caem em um lago / rio, e saem ensopados, inclusive com Lucy com cabelo diferente e sem maquiagem. Mas Tim sai com o Pikachu por um lado onde tem alguns Bulbasaur, e Lucy volta com Psyduck. Ao se reencontrarem, todo mundo está seco, com o cabelo feito e maquiados rs…

Considerações Finais

Eu particularmente gostei muito do Detetive Pikachu, não que eu assistiria novamente, pois também não sou um aficionado por filmes.

O filme consegue entregar um equilíbrio em seu roteiro, e nas referências tanto aos games quanto ao desenho animado.

Para se ter uma ideia, minha esposa, ela nunca jogou Pokémon (nem o Pokémon Go), a referência dela era apenas o desenho, e ela gostou do filme, achou fofo, então realmente o público casual irá se amarrar na aventura do Pikachu e do Tim.

Esse Pikachu é top

Se você quiser ir assistir, é um ótimo programa para se fazer um sábado a tarde, enquanto ainda está em cartaz, pois parece que esse mês e o próximo serão bem disputados com a chegada de Aladdin e Toy Story 4.

E você já assistiu? Diga o que achou nos comentários.

Obs.: As imagens para compor esse artigo foram baixadas do site da Warner Bros, confira mais sobre o filme, imagens e vídeos, clicando aqui.

Ah e se você se interessa por filmes da franquia Pokémon, o primeiro (Mew Vs Mewtwo) está sendo refeito em animação 3D, caso queira conferir como está ficando, veja clicando aqui.


Gostou do conteúdo? Se inscreva no nosso site ou acompanhe nossas redes sociais e receba novidades exclusivas clicando aqui.

Abraços pessoal, até a próxima.

About Daniel Atilio

Analista de sistemas e blogueiro nas horas vagas. Pode ser encontrado jogando Tetris por ai.

Deixe uma resposta