Análise – Chasm

Vamos desvendar os mistérios do universo de Chasm.

Sobre o Game

Em Chasm, um jogo no estilo Metroidvania, você é um recruta e deve mostrar seu valor e cumprir missões pelo Reino.

Ouvindo boatos sobre sumiços em uma mina, você parte para desvendar o mistério e restaurar a paz do Reino.

A arte do game foi feita pelo brasileiro Glauber Kotaki.

Enfrentando inimigos gigantescos

Pontos Positivos

Um dos pontos mais legais e interessantes do game, é que cada jogador terá uma experiência diferente, pois o mapa gerado do jogo nunca é igual. Então se você e um amigo começarem o game, o mapa será diferente para ambos.

Falando em amigo, você pode convidar um amigo para jogar no mapa gerado no seu bloco.

O jogo é bem desafiador, sendo que, você tem que tomar cuidado com golpes, utilizando bem a esquiva, assim como contra-atacar e usar itens.

Procurando a entrada da mina

Pontos Negativos

Infelizmente o jogo não tem suporte ao português, o que pode afetar a experiência com alguns diálogos e ajuda dos aliados encontrados.

Outro ponto que pode ser negativo para alguns jogadores, é que o game não tem autosave, para salvar, só é possível manualmente ao acessar uma sala, similar aos clássicos da década de 90. Mas ressalto, que isso pode afetar apenas quem não for fã do gênero.

Salvando o game

Veredito

Pela geração do mapa ser única, e cada experiência também ser o reflexo disso, eu recomendo Chasm. Pode ser um pouco difícil, e o jogador terá que se adaptar e aprender bem as mecânicas do game, mas a experiência é única e satisfatória.

Agora, caso realmente não goste de clássicos Metroidvania da década de 90, então é melhor esperar uma promoção ou tentar experimentar o game antes de compra-lo.

Confira abaixo um gameplay no nosso canal:

Gostou do vídeo? Ajude a gente, se inscreva no nosso canal clicando abaixo.


Gostou do conteúdo? Se inscreva no nosso site ou acompanhe nossas redes sociais e receba novidades exclusivas clicando aqui.

Abraços pessoal, até a próxima.

About Daniel Atilio

Analista de sistemas e blogueiro nas horas vagas. Pode ser encontrado jogando Tetris por ai.

One thought on “Análise – Chasm

  1. ¨A arte do game foi feita pelo brasileiro Glauber Kotaki.¨!!!! Show de bola!!!! Os gráficos, jogabilidade, músicas e o estilo do game me impressiona sim, jogos nesse estilo é o que me atraem em termos de tudo!!!! Um dia desses meu sobrinho que tem um XBOX me perguntou o que era o estilo Metroidvania…eu expliquei mostrando determinados jogos e exemplificando o que era e o que foi e ainda é, o game Super Metroid e a série castlevania. Muitas pessoas da geração atual não sabem o que significa o termo Metroidvania, muita coisa que a geração atual perdeu e que muitos não tem vontade de aprender ou jogar games antigos da era de ouro 8 e 16 bits!!!! Os bons tempos de antigamente é que servem de base para tudo hoje, acredito!!!! valeu galera gamer!!!!

Deixe uma resposta